GB Creative iniciou uma live – A alta das lives em meio a pandemia.

Quando as circunstâncias ao nosso redor mudam, nossa rotina, inevitavelmente, sofrerá mudanças. Algumas práticas, anteriormente secundárias, podem ganhar destaque enquanto outras se tornam inviabilizadas. O caso mais recente deste movimento são as lives. Em um passado não muito distante, o universo das transmissões ao vivo via redes sociais era periférico no contexto da produção de conteúdo, sendo mais frequente apenas no meio geek e gamer. Porém o jogo virou, ele já não é mais o mesmo. O isolamento social mudou drasticamente o cotidiano das pessoas ao redor do mundo e o aumento das lives, junto com o crescimento do e-commerce e serviços de delivery, é um reflexo desse novo contexto.

Esse formato de conteúdo tem se mostrado eficiente em na medida em que diminui a sensação de solidão, causado pelo isolamento, e ao permitir que artistas possam continuar presentes para o seu público, uma vez que shows e performances estão inviabilizados. Algumas marcas perceberam esse alvoroço e começaram então a se mobilizar para entrar nessa relação simbiótica.

As marcas caíram de cabeça na nova onda.

A Heineken, Pepsi, Havaianas, Natura, Ambev, Lollapalooza, e o jornal O Globo, com o festival #TamoJunto que contou com a participação de cantores consagrados e revelações da música brasileira divididos em três etapas. No caso do Lolla, a necessidade é a de manter o festival no imaginário das pessoas, uma vez que ele depende totalmente de sua imagem entre o público e, logicamente, da presença das pessoas no futuro. Ainda assim, todas essas marcas buscam pegar carona com a força desses influenciadores e reforçar suas respectivas identidades.

Falando assim, pode até parecer fácil entrar nessa onda e sair por cima, mas não é bem assim. É imprescindível estar atento a alguns detalhes bem importantes, como por exemplo o engajamento. Esta, provavelmente, é a palavra do momento quando falamos em conteúdo e no mundo das lives não poderia ser diferente. Uma excelente dica é manter a interação com o público que está assistindo a transmissão, isso porque no ambiente digital todos estão em busca dela. Esse diálogo próximo e orgânico, permitido pela mecânica das lives, abre muitas possibilidades para estreitar ainda mais os laços entre a marca e seu público. Roteirizar o conteúdo também é uma ótima ideia, pois evita que o conteúdo seja cansativo ou que se perca no meio do caminho.

Seu artista favorito dando um show na sua casa.

Um exemplo de ação bem sucedida foi a live realizada pela cantora Marília Mendonça, patrocinada pela Havaianas e pela Stone. A transmissão da artista bateu recordes mundiais registrando 3,3 milhões de acessos simultâneos e 53 milhões de visualizações no total. Durante o evento, a cantora anunciou que a empresa faria uma doação para o Hospital Universitário da Universidade Federal da Paraíba, estado onde a marca conta com suas principais fábricas e emprega mais de 13 mil pessoas. A marca conseguiu alinhar seus interesses aos interesses da cantora e seus fãs, além de beneficiar a sociedade em prol da luta contra o Covid-19.

Já para o cantor Gusttavo Lima, as coisas não deram tão certo assim. Tanto ele quanto a Ambev, patrocinadora da live, estão sendo julgados pelo Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) por negligências durante a transmissão. O conteúdo não possuía avisos de restrição de idade para a bebida, exigido pelo Conar em publicidades para bebidas alcoólicas, e para completar o cantor ficou alcoolizado durante a live, visto como irresponsabilidade pelo órgão. Toda essa dor de cabeça poderia ter sido evitada com um roteiro a ser seguido durante o evento, mesmo que a intenção seja ser natural e orgânica.

OMS e Lady Gaga em festival internacional histórico.

Um destaque importantíssimo vai para a transmissão internacional organizada pela OMS em parceria com a cantora Lady Gaga, que aconteceu no dia 18/04. O festival One World: Together at Home reuniu cantores, atores, influenciadores e profissionais da saúde no próximo sábado. Nomes como Elton John, Paul McCartney, Stevie Wonder, Anitta, Billie Eilish e a própria Lady Gaga tiveram participação ao longo do evento, além da enorme lista de participantes. Iniciativas como esta são importantes para conscientizar e ao mesmo tempo trazer boas energias para as pessoas. Aqui no Brasil, o festival foi transmitido pelo Multishow e pela Rede Globo.

Assim, podemos concluir que as lives tem beneficiado, e muito, a população nesse momento tão conturbado, dessa forma, então, salientamos que o objetivo principal delas deve ser entreter e trazer coisas positivas para a sociedade. É momento de nos mobilizarmos para que a situação pela qual estamos passando melhore o quanto antes.

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
Menu